sábado, 28 de janeiro de 2017

Black Sabbath em Porto Alegre

Arte de Sandro Andrade
Lembro bem do ano de 1992 quando assisti ao Black Sabbath pela primeira vez em Porto Alegre/RS. Foi no ginásio Gigantinho completamente lotado e com a formação praticamente completa. Naquela turnê, Ozzy Osbourne deu lugar a Ronnie James Dio. Dio não era da formação clássica, mas se tornou tão clássico quanto Ozzy em grandes discos do Sabbath.

Quando Ozzy esteve em Porto Alegre no ano de 2011, também no Gigantinho, aproveitei para completar o meu álbum de figurinhas do rock. Também não deixei passar a oportunidade de levar meu filho em 2015 para ver o Ozzy Osbourne na Monster Tour que passou por Porto Alegre no estádio do São José. Mas faltava ver o Ozzy comandando o Sabbath, oportunidade que deixei escapar em 2013.

Quando o Black Sabbath anunciou a turnê “The End”, que segundo eles, marcará o fim oficial da banda, e surgiu a data de 28 de novembro em Porto Alegre, não pensei duas vezes. No primeiro dia da venda dos ingressos corri e garanti duas entradas, uma para mim e outra para meu filho. Era a oportunidade de ver o Ozzy ao lado de Tony Iommi e Geezer Butler.

O show realmente foi em tom de despedida. Ozzy não conseguiu contagiar o público tanto quanto em shows anteriores em Porto Alegre. Iommi esteve tranquilo no palco e Butler continua esbanjando toda sua elegância. O repertório não deixou de fora grandes clássicos como “Iron Man” e “War Pigs”. Abriram com “Black Sabbath” e encerraram como todos imaginavam, com “Paranoid”. Show enxuto, 1h30min de palco com apenas uma música no bis.

O show poderia ter sido mais empolgante, mas foi satisfatório e, ter a oportunidade de presenciar este momento da carreira do Black Sabbath foi como o próprio nome da turnê já diz: uma grande despedida de nossos ídolos. Obrigado Black Sabbath!

Confira Black Sabbath ao vivo em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:



Confira galeria de fotos do Black Sabbath em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:


Texto, fotos e vídeo: Denilson Rosa dos Reis
Edição de vídeo: Fernanda Barbosa dos Reis
Ilustração: Sandro Andrade (RS) - contato click aqui

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Guns N’ Roses em Porto Alegre

Arte de Jader Corrêa
No final dos anos 80 e início dos 90 uma banda de rock passou a chamar a atenção do público e crítica por reviver os grandes momentos do chamado hard rock. Esta banda atendia pelo nome de Guns N’ Roses. Mas, para os saudosistas do passado, ficava aquele incomodo de que eles jamais seriam os novos Led Zeppelin da vida. Quando a banda veio pela primeira vez no Brasil, no Rock in Rio de 1991, comprovou que se tratava de uma grande banda e tinha um verdadeiro “monstro” na guitarra: Slash.

Após a saída de Slash, a banda esteve duas vezes em Porto Alegre, mas com apenas Axl Rose da formação clássica. Até assisti ao show de 2014, mas para mim, Guns sem o Slash não é Guns. Assim, quando a banda anunciou que retornaria com três de seus integrantes originais (Axl, Slash e Duff) e tocariam em Porto Alegre, não pensei duas vezes, era a oportunidade de ver o Slash frente ao Guns N’ Roses.

O terceiro show do Guns em Porto Alegre ocorreu no Estádio Beira-Rio no dia 08 de novembro de 2016. O público foi de quase 50 mil espectadores. A noite começou com dois shows de abertura. Primeiro veio a DJ Karine Larré, que botou para rodar clássicos do rock e ainda contou com a participação do guitarrista de blues Fernando Noronha numa live. Depois, foi a vez da banda Scalene mostrar o seu rock.

Quando o relógio marcou 21h30 o Guns N’ Roses sobiu ao palco ao som de "It's so Easy". Lá estavam Axl Rose (voz), Slash (guitarra) e Duff Mc Kagan (baixo), abrindo a turnê Not In This Lifetime Tour Latin America, no Brasil. O show foi marcado por uma série de clássicos da banda, para fã algum reclamar. Mas, independente das músicas, lá estava ele, Slash, empunhando sua Gibson e tocando os solos que marcaram uma época. O guitarrista mostrou que realmente é a alma do Guns, com todo o respeito aos demais integrantes. Ver, por exemplo, uma versão “guitarrera” e instrumental da clássica “Whish You Are Here”, do Pink Floyd, não tem preço.

Com este show, o público gaúcho pode voltar para casa com a satisfação de quem viu uma verdadeira lenda do rock ao vivo em sua cidade.

Confira Guns N’ Roses ao vivo em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:



Confira galeria de fotos do Guns N’ Roses em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:




Texto, fotos e vídeo: Denilson Rosa dos Reis
Montagem do vídeo: Fernanda Barbosa dos Reis
Ilustração: Jader Corrêa (RS)

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

2º BB Blues and Jazz

Autógrafo de Stanley Jordan
A população porto-alegrense e das cidades vizinhas tiveram uma grande oportunidade de ouvir música da melhor qualidade e ver músicos fantásticos no palco. Dia 08 de outubro de 2016 realizou-se no Parque da Redenção em Porto Alegre/RS o 2º BB Blues and Jazz. O evento trouxe para o parque nomes consagrado do blues e do jazz, tanto com atrações nacionais como internacionais. O mais bacana é que os shows ocorreram ao ar livre e com entrada franca. Imperdível para os amantes da boa música.

O evento começou ainda pela manhã, se estendeu pela tarde e início da noite. Foram sete atrações, com músicos locais, nacionais e internacionais. Representando o blues gaúcho tivemos João Maldonado Trio. O blues nacional ganhou destaque com a Blues Etílicos. Já o jazz foi representado por Orleans Street Jazz Band, O Bando, Hamilton de Holanda e Dudu Lima, que contou com a participação do guitarman Stanley Jordan. O show de encerramento ficou por conta de Maria Gadú, com um repertório repleto de clássicos do blues contemporâneo.

Os destaques do evento foram Blues Etílicos e Dudu Lima com Stanley Jordan. A banda Blues Etílicos mostrou um blues moderno e com uma pegada roqueira já clássica da banda. Mostrou porque é a melhor banda do gênero, empolgando o público com composições próprias e releituras fantásticas. Dudu Lima, que veio mostrar seu mais recente trabalho, subiu ao palco em formato trio até chamar Stanley Jordan para participação especial. Jordan mostrou toda sua técnica tapping, e levantou os espectadores interpretando canções clássicas como “Eleonor Rigby” dos Beatles e “Stairway to Heaven” do Led Zeppelin. O show de Dudu Lima teve ainda a participação do lendário baterista Ivan “Mamão” Conti.

Precisamos de mais iniciativas como esta para mostrar a população que música boa não é aquela que roda massivamente nas rádios. Que venha o próximo!

Confira Blues Etílicos ao vivo em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:


Confira Stanley Jordan ao vivo em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:


Confira galeria de fotos do 2º BB Blues and Jazz em Porto Alegre clicando na imagem abaixo:



Texto, fotos e vídeo: Denilson Rosa dos Reis 

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Tequila Baby em Alvorada

Henrique Reis, Duda Calvin e Denilson Reis
O dia 13 de agosto de 2016 marcou a primeira apresentação da banda porto-alegrense de punk-rock, Tequila Baby em Alvorada/RS. Conheci Duda Calvin, vocalista da Tequila Baby, no início dos anos 90, andando pelos corredores do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UFRGS, onde nós cursávamos História. De lá para cá, sempre fiquei na expectativa de quando a banda tocaria na minha cidade. Então, mais de 20 anos depois a banda chega por aqui.

Como uma banda com duas décadas de estrada demorou tanto para tocar na cidade? Duda ao subir no palco falou: “finalmente vou poder gritar, Alvorada, nós somos a Tequila Baby”. Demorou muito para o grito de guerra da banda ser gritado em Alvorada. A banda teve que fazer um baita sucesso e gravar 8 discos, sendo um ao vivo ao lado de Mark Ramone, para chegar até a cidade.

Mesmo com todo este sucesso e reconhecimento do público, no show de Alvorada este público ficou bem aquém do que era esperado pela produção do evento. No final do show ficava visível a frustração dos produtores Bolonha e Serginho com a falta de comparecimento do público, algo que deve até influenciar em novas produções.

O importante é que o público que foi ao show não pode reclamar. A banda formada por Duda Calvin (vocal), James Andrew (guitarra), Rodrigo Gaspareto (baixo) e Rafael Heck (bateria) mandaram ver no punk-rock. Fizeram um show com muita intensidade e guitarra distorcida. Não faltou a tradicional roda punk e o mosh do guitarrista James. Músicas como “Velhas Fotos”, “Sexo, Algemas e Cinta-liga”, entre outras foram cantadas em plenos pulmões. Tequila Baby é realmente punk-rock até os ossos!

Confira Tequila Baby ao vivo em Alvorada clicando na imagem abaixo:



Confira galeria de fotos da Tequila Baby em Alvorada clicando na imagem abaixo:



Texto, fotos e vídeo: Denilson Rosa dos Reis 

terça-feira, 15 de novembro de 2016

RICK FERREIRA EM ALVORADA

Rick Ferreira e Denilson Reis
O guitarrista e produtor Rick Ferreira esteve em Alvorada/RS no dia 07 de agosto de 2016 para participação da Confraria do Rock, evento fechado para os amantes do rock’n’roll poderem ouvir e bater papo com os músicos convidados.

Rick Ferreira é uma lenda! Só para vocês terem uma ideia, o cara foi o grande parceiro musical de Raul Seixas. A partir de 1974, com o lançamento do álbum “Gita”, ele gravou todos os discos do Raul, além de produzir o disco "Uáh-Bap-Luh-Bap-Láh-Béin-Bum". Mas não foi só com o Raul que Rick tocou. Na sua lista podemos incluir Zé Ramalho, o tremendão Erasmo Carlos, com quem tocou por mais de 20 anos, entre outros, e aí podemos incluir o pessoal da música sertaneja.

Um roqueiro tocando música sertaneja? Na conversa com o público, Rick disse que, quando os sertanejos passaram a incluir uma pegada mais country em suas músicas, começaram a chamar ele. Rick sempre foi muito influenciado pela música country norte-americana, sendo o precursor do uso da guitarra country no Brasil.

Em sua vinda a Alvorada, Rick Ferreira tocou todos os clássicos do mestre Raul Seixas. Esteve acompanhado de Cleiton Amorim, músico que desenvolve um projeto cover de Raul Seixas, e Luciano Pinto, baixista e grande conhecedor da obra de Raul. Entre os clássicos, Rick foi contando muitas histórias de sua carreira ao lado de Raul Seixas e outros músicos. Rick Ferreira, uma lenda viva em Alvorada!

Confira Rick Ferreira ao vivo em Alvorada clicando na imagem abaixo:

"Canceriano Sem Lar"

Confira galeria de fotos de Rick Ferreira em Alvorada clicando na imagem abaixo:




Texto, fotos e vídeo: Denilson Reis

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

JUSTIN VASCONCELOS & KING JIM

CD "Hot 20" dos Garotos da Rua
Justin Vasconcelos e King Jim (Ricardo Cordeiro) são, respectivamente, o guitarrista e o saxofonista/vocalista da extinta banda de rock gaúcha, Garotos da Rua. A banda foi formada em junho de 1983 e tinha como componentes, além dos dois, Bebeco Garcia (guitarra e voz), falecido em 2010, Edinho Galhardi (bateria) e Mitch Marini (baixo). Outros músicos integraram a banda ao longo dos anos.

O Garotos da Rua teve uma carreira consolidada com seis discos de estúdio e músicas que viraram hits e até clássicos do rock nacional. Conseguiram emplacar música em novela da Globo e acabaram indo morar no Rio de Janeiro, onde eram figurinhas carimbadas em programas de auditório. Com a saída de Bebeco da banda, King Jim assumiu os vocais, agora sozinho, e junto com Justin tocaram a banda até 2015, quando, por motivos de registro deixaram de usar o nome “Garotos da Rua”.

King Jim e Justin Vasconcelos continuam na estrada tocando o repertório do Garotos da Rua e compondo novas canções. A dupla esteve no dia 23 de julho em Alvorada/RS para participar de mais uma edição da Confraria do Rock. Naquele clima de bate-papo intercalado por músicas, contaram várias histórias envolvendo a banda e também outras bandas. Satisfizeram o público tocando músicas consagradas com “Tô de Saco Cheio”, “Você é Tudo que eu Quero”, “Sabe o que Acontece Comigo?”, “Meu Coração não Suporta Mais”, entre outras. Garotos da Rua é clássico do rock!

Confira Justin & King Jim ao vivo em Alvorada clicando na imagem abaixo:

"Você é Tudo que eu Quero"

Confira galeria de fotos de Justin & King Jim em Alvorada clicando na imagem abaixo:




Texto, fotos e vídeo: Denilson Reis
Montagem do vídeo: Fernanda Reis
Revisão de texto: Gilson Gustavo

domingo, 7 de agosto de 2016

DJAVAN – VIDAS PRA CONTAR

Arte de Bira Dantas
Sempre me identifiquei muito com o rock’n’roll. A MPB acabou passando meio que ao largo de meu gosto musical. Mas isso não me impediu de ter a mente aberta e apreciar os excelentes músicos e compositores que temos no Brasil, especialmente aqueles que fazem um trabalho mais voltado para o jazz contemporâneo. Entre estes artistas, tenho um como destaque pelas sonoridades jazzísticas e melodias que flertam com o pop. Estou falando de Djavan.

Curto o trabalho de Djavan há décadas. Inclusive tenho discos do artista em minha coleção, mas ainda não havia apreciado um show ao vivo. No dia 07 de julho de 2016, aproveitei a oportunidade. Djavan veio a Porto Alegre, no Auditório Araújo Vianna para o show de lançamento de “Vidas pra Contar”, vigésimo terceiro álbum de sua discografia. Djavan completou 40 anos de carreira em 2015. Foi coroado com o Grammy Latino de excelência musical, em homenagem ao conjunto de sua obra.

No show que durou 2h, Djavan começou apresentando músicas de seu novo disco e na primeira intervenção com o público falou do amor: "É um tema recorrente para qualquer autor do mundo e vai ser sempre, porque é ele que move a vida, e sem ele a vida não se justifica". Logo tocou “Te Devoro”. A partir daí, foi mostrando os sucessos de sua carreira, embora ao final do show senti falta de algumas músicas como: “Se” e “Oceano”. Mas nada que desmereça o espetáculo.

A banda que acompanha Djavan é um espetáculo a parte. Formada por Carlos Bala (bateria), Jessé Sadoc (flügelhorn, trompete e vocal), Marcelo Mariano (baixo e vocal), Marcelo Martins (flauta, saxofone e vocal), Paulo Calasans (teclados e piano) e João Castilho (guitarras, violões e vocal). Destaco a performance do baterista Carlos Bala, o músico é um monstro, um dos melhores em seu instrumento.

Valeu muito a pena ter aproveitado esta oportunidade e ver ao vivo esta lenda da música Mesmo com idade já avançada é um carismático no palco, apresenta uma jovialidade ímpar em sua performance. Vida longa ao mestre da música popular brasileira!


Assista trecho do show ao vivo clicando na imagem abaixo:



Confira galeria de fotos clicando na imagem abaixo:


Texto, fotos e vídeo: Denilson Rosa dos Reis
Montagem do vídeo: Fernanda Reis
Revisão: Gilson Gustavo (RS)
Ilustração: Bira Dantas (SP)